[ editar artigo]

Você trocaria um emprego no Brasil por um estágio na Índia?

Você trocaria um emprego no Brasil por um estágio na Índia?

Sou estilista, paranaense, formada em São Paulo. Tinha 25 anos, já havia trabalhado para algumas marcas legais brasileiras. Era independente, morava com minha irmã, tinha uma vida ótima e amigos legais na capital paulista. Mas, mesmo assim, faltava alguma coisa - significado, propósito, um sonho maior.

Então, 6 anos atrás, resolvi me cadastrar no programa de intercâmbio da AIESEC. Percebi que havia chegado a hora de realizar o sonho de conhecer o mundo. Como fazer mestrado no exterior não era uma opção, decidi fazer um programa onde eu pudesse trabalhar na minha área e receber por isso, mesmo se fosse um estágio.

Naquela época, eu achava que "mundo" era Europa, América do Norte e Austrália, no máximo. Então, quando eu recebi propostas da Índia, eu ignorei. Mas depois de receber e-mails por mais de um mês com vagas na Índia, em Jaipur, de um indiano que eu nunca tinha visto na vida, eu resolvi me candidatar.

Fiz a primeira entrevista por skype em uma confecção, mas eles pararam de responder. Então, me candidatei para a segunda empresa, e aí resolvi jogar o nome da empresa no Google pra ver se eles tinham algum site.

A empresa não tinha site. Mas, para meu absoluto e completo CHOQUE, apareceu um perfil no LinkedIn de uma moça que trabalhava lá. A hora que eu li o nome dela, eu não consegui acreditar.

Essa moça era uma grande amiga minha de infância em Londrina! Mas não era apenas isso. Ela morava na rua atrás da minha casa, há míseros 200m. Éramos vizinhas e amigas, nossos irmãos estudavam juntos, fazíamos natação juntas e a minha mãe fazia ginástica na academia da mãe dela. A gente se via TODOS os dias, dormia na casa dela às vezes e tudo mais.

Em 1998, aos 11 anos, eu mudei de bairro, depois ela mudou de escola e a gente NUNCA mais se viu, naqueles tempos pré-celular, pré-facebook, pré-email. Eu não tinha o contato dela em lugar nenhum. Não esbarrei com ela em Londrina em nenhum momento da vida.

Adicionei ela no Facebook e perguntei “Renata, por acaso é você que está trabalhando em Jaipur?” “Sim, Le! Sou eu mesma!” Eu fico arrepiada até hoje só de lembrar.

Não era apenas na mesma empresa. Na verdade, o estágio dela estava quase no fim, a pessoa nova (no caso, eu) entraria pra substituí-la. E mais – Ela não é formada em moda, mas em Comércio Exterior.

Ou seja – duas amigas e vizinhas de uma cidade de 500.000 habitantes no interior do Paraná, sem contato nenhum, formadas em áreas DIFERENTES, trabalhando na MESMA vaga, na MESMA empresa, na MESMA cidade na Índia. QUAL É A PROBABILIDADE DISSO ACONTECER?

Seria um sinal do destino? De que era para eu ir pra lá?

O que você teria feito?

Quem quiser acompanhar o restante da história e o desenrolar de tudo, eu posto no meu instagram e no blog da Happee, minha marca de moda sustentável e com impacto social na Índia.

COMUNIDADE EFEITO ORNA
Ler matéria completa
Indicados para você