[ editar artigo]

O que te paralisa?

O que te paralisa?


O que te move? Muitas vezes temos mil respostas para esta pergunta, só que infelizmente o que nos faz permanecer no mesmo lugar e não atingir os objetivos se trata de outra pergunta.

O QUE TE PARALISA?

Quais são os pensamentos e inseguranças que impedem que você atinja os objetivos traçados ao responder a primeira pergunta do post de hoje? Muito se fala dentro do networking e do branding em identificar os objetivos e traçar as metas necessárias para que você possa alcançar os seus sonhos, empreender, trabalhar com algo que faça seu coração pulsar e lhe traga o retorno financeiro almejado.

Entretanto, em alguns momentos da sua carreira não será a falta de objetivos, de estratégias de marketing ou de planejamento de ações, mas sim, o momento em que começam os questionamentos em relação aos próprios objetivos traçados. Normalmente esses questionamentos nascem dos primeiros comentários negativos, ou da falta de retorno esperado.


O que causa a paralisia que te impede de ir ao encontro do teu sonho?

A falta de aprovação do outro?

A expectativa de um retorno que não cumpre os prazos traçados por você?


Quando nos dispomos a criar uma marca pessoal, profissional, um produto, lidamos com essas situações nas redes, os objetivos definidos inicialmente seguem lá, mas o desânimo e a insegurança de se manter neles é que assolam o sucesso.

Saber quais são as suas inseguranças e criar formas de contorná-las, com pensamentos possíveis e situações de enfrentamento, faz com que no momento da descrença e dos pensamentos ruins, você tenha formas de enfrentar os problemas criados por você mesmo de forma saudável.

E como faremos isso? Mudando as perguntas!

Quando traçar o seu objetivo, por exemplo, impactar positivamente a vida das pessoas, além de responder como, quando e por qual plataforma fazê-lo, responda o porquê, encontre algo, dentro das suas experiências pessoais, que lhe faça acreditar que você é a melhor pessoa para realizar esta atividade.

Pense nas situações em que você criou, projetou ou buscou algo e, por ventura, teve algum olhar de desaprovação, pense neste sentimento e crie uma forma de bloquear a reação negativa.

Respondendo outras perguntas simples, que encontrará o que lhe paralisa e vai conseguir criar estratégias para além do que vai oferecer ao público, responda as perguntas que você vai precisar pra acreditar internamente no seu trabalho nos momentos em que a insegurança, o medo e o lado dark das redes bater a sua porta.

E, principalmente, entenda que abrigar esses sentimentos não é sinal de fraqueza, e sim, de muita responsabilidade com a evolução do seu produto, junto com uma empatia gigante com o seu cliente.

Quando você sabe o que te paralisa, nada mais vai lhe impedir de se mover rumo ao seu objetivo.

COMUNIDADE EFEITO ORNA
Ana Carla Batista
Ana Carla Batista Seguir

Advogada. Redatora Jurídica. Pseudo filósofa. Artesã nas horas vagas.

Ler conteúdo completo
Indicados para você