[ editar artigo]

O LIVRE APRISIONAMENTO

O LIVRE APRISIONAMENTO

Quantas vezes desejamos trabalhar em casa? Um ou dois dias da semana, sem ter que enfrentar a loucura do trânsito para ir e voltar do escritório (quem mora em São Paulo entende)? Ah, como isso é bom! Mas não paramos para pensar como isso também é desafiador

Há 10 anos tenho a rotina de sair de casa, ir para o escritório, cumprir o horário de trabalho, ir à academia, aula, lazer, etc., voltar para casa e no outro dia recomeçar a jornada. Quando achava necessário, avisava que precisaria fazer home office. 

Muitas empresas permitem que seus colaboradores possam trabalhar de casa, afinal, independente de onde você esteja, o que importa é fazer o seu trabalho. Já outras instituições têm uma visão conservadora e fazer home office não é opção - uma pena!

Então 2020 chegou e com ele muitas mudanças! Me vi longe da rotina casa>trabalho>casa. 

Agora faço home office em tempo integral. Confesso que o primeiro pensamento foi "Ótimo! Agora posso trabalhar no conforto do meu lar!", mas depois veio o estranhamento de não ter que me deslocar para o escritório, não ter os colegas para dividir as tarefas ou ter um bate-papo, não ter horário de trabalho determinado - e aqui encontrei meu ponto crítico. Por mais que eu tenha saído do escritório, o escritório não saiu de mim. 

Mantive os horários ao acordar, sentar na minha escrivaninha, trabalhar, almoçar e encerrar o expediente. O meu problema é justamente esse, criei meu livre aprisionamento. Trabalhar em home office não significa que eu tenha, literalmente, que trabalhar em casa. Foi só após essa reflexão que comecei a enxergar as possibilidades: trabalhar em casa, viajar e trabalhar da pousada, trabalhar em coworking ou na biblioteca do bairro!

Fiz o teste: peguei meu notebook e fui para a biblioteca perto de casa. E que bom que fiz isso! O ambiente é agradável, organizado, há jardins e para minha surpresa, uma internet muito boa e sem limite de uso. E quando o trabalho está mais calmo, sobra tempo para bisbilhotar os títulos nas prateleiras. 

Demorei mas entendi que não preciso me cobrar tanto, cobrar meus horários, não preciso me deixar aprisionar nessa rotina que tive há 10 anos. O que preciso é ter disciplina para entregar resultados, independente de onde eu esteja. É certo que o hábito não muda de uma hora para outra, mas já é um começo. 

E que 2020 traga mais aprendizados! 

 

Artigo no Linkedin: https://www.linkedin.com/pulse/o-livre-aprisionamento-aline-santos/?published=t

COMUNIDADE EFEITO ORNA
Ler matéria completa
Indicados para você