[ editar artigo]

Cuidado: você é o que você lê...

Cuidado: você é o que você lê...

Acabou de sair a Pesquisa Retratos da Leitura do Brasil e o resultado é pior do que o esperado: o país perdeu 4,6 milhões de leitores nos últimos 4 anos. A maioria deles nas classes mais altas.

Parte dos entrevistados culparam a falta de tempo. Será? 

A mesma pesquisa indica que parte cada vez maior da população tem gasto mais tempo nas Redes Sociais. E isto poderia ser bom mas, infelizmente, não é. Porque depende do que é consumido ali.

Afinal, somos o que lemos. E não precisa de pesquisa para indicar que a leitura é um hábito cada vez menos comum aos brasileiros.

A culpa é das Novas Mídias?

De maneira simplista muitos afirmam ser sim, mas eu acredito que não. A internet tem infinitas possibilidades, muita informação de qualidade e é hoje uma ferramenta fundamental para qualquer um.

Aliás, hoje quem não é visto digitalmente não existe no mundo profissional, não é mesmo?

O problema então é maior: os brasileiros leem pouco e, escolhem mal o que ler. Não fosse assim a circulação das Fake News não seriam tão eficientes. Ou a desinformação, de uma maneira geral.

A grande maioria tem preguiça de checar, de buscar fontes confiáveis. E prefere acreditar no que recebe ou lê de amigos, parentes ou daqueles que seguem em suas redes sociais. O resultado está aí!

Mas, então: como mudar?

Começando com o que cada um pode fazer. Que tal iniciarmos uma corrente?

Digo isto porque acho que temos a obrigação de produzir, cada vez mais, conteúdos de qualidade. Ao escrevermos só sobre o que conhecemos, damos um passo no sentido de contribuir para o aumento da boa leitura. Sem achismos ou informações superficiais. Pior ainda quando são falsas.

Estamos aqui em uma comunidade, na qual acabei de chegar — é verdade. Então aproveito para nos apresentar.

Nós trabalhamos com Cultura há quase 25 anos. Nos últimos 20 viajamos por mais de 30 países e 200 e tantas cidades no Brasil e exterior.

Sempre fotografando, estudando, aprendendo, pesquisando. Tudo isto para escrever a História como aconteceu de verdade, mostrar a Arte e entender o seu contexto — de forma leve, não acadêmica, mas educativa e, ao mesmo tempo, interessante.

Até agora foram 9 livros, e paramos de contar quando alcançamos 100.000 fotos, e isso já faz tempo.

E a todo este imenso acervo somou-se muita experiência.

É isto que oferecemos em nosso site e blog. Estamos criando um portal de dicas, informações e muito material para ajudar viajantes que queiram ver além do óbvio, saber mais, aproveitar melhor cada destino.

Estamos no começo da jornada digital. Mas já tem muita coisa boa por lá!

Então, cuidado com o que você lê!

Se é fato que gastamos mais tempo nas redes, que seja um tempo bem gasto!

Siga contas, sites, blogs e afins que agreguem conhecimento, aprendizado, referências para o seu trabalho e para o seu crescimento pessoal. E abandone tudo que não fizer sentido, simples assim...

A desculpa? Falta de tempo a perder! Afinal, você está focada em seu trabalho, em seu desenvolvimento.

Apesar de ser caloura por aqui acho que tem tudo a ver com a visão do @efeitoorna.

E como sou uma otimista...

Detestaria terminar um primeiro texto só com notícias ruins...

A mesma pesquisa sobre a leitura tem um único dado esperançoso: cresceu o número de crianças que leem. É justamente na fase de 5 a 10 anos.

Por isso, que tal trocar os presentes do próximo 12 de outubro por uma boa estória? As crianças irão agradecer.

Quák!

COMUNIDADE EFEITO ORNA
Fernanda Disperati Gallas
Fernanda Disperati Gallas Seguir

Autora de 9 livros sobre História e Arte, fotógrafa, viajante. Um site e blog criado por um casal de engenheira e arquiteto que viaja o mundo juntos há 20 anos. Dicas além do óbvio, experiências culturais e só informações interessantes e criativas.

Ler conteúdo completo
Indicados para você