[ editar artigo]

Artigo 2/4 - Crise COVID-19 e você? POR QUE isso está acontecendo comigo?

Artigo 2/4 - Crise COVID-19 e você? POR QUE isso está acontecendo comigo?

POR QUE?

Esté é o segundo artigo de 4 textos, onde o objetivo é fazer uma reflexão sobre você e entender o quão você é responsável por estar onde está hoje, principalmente em meio a atual crise que estamos vivendo.

Se perdeu o primeiro artigo, só ir na minha sessão de artigos para acessá-lo, antes de continuar sua leitura.

Continuando…

O questionamento do porque, é resultado da curiosidade da natureza humana. Somos questionadores e muitas vezes queremos buscar resposta para situações adversas que vivemos. Porque algumas pessoas conseguem ter mais realizações que outras na vida? Porque algumas pessoas conseguem alcançar realizações mesmo enfrentando condições muito desfavoráveis? Porque a vida foi tão injusta comigo? Porque ainda não encontrei o trabalho dos meu sonhos? 

Por que? Por que? Por que? 

Existem alguns conceitos que gostaria de compartilhar com você, que me ajudaram muito a desenvolver uma visão baseada em autoconsciência, autogestão e autoresponsabilidade. Três elementos essenciais para sermos protagonistas da nossa própria vida e lidar com os desafiadores “porques”:

  • Locus de controle – interno x externo: locus de controle representa o centro no qual a pessoa acredita ter poder de agir sobre. As pessoas com o locus de controle interno acreditam que tem o poder sobre sua vida e todas as decisões tomadas direcionam seus caminhos e resultados. Já as pessoas com o locus de controle externo acreditam serem vítimas de circunstâncias e ambientes externos dos quais elas não têm controle. Conduzir a vida sob a perspectiva do locus interno deixa a pessoa em uma posição de controle que amplia o seu potencial de realização. Neste contexto, não significa que a pessoa tem controle sobre tudo que acontece com ela, pois isso seria impossível, mas ela tem controle sobre a forma como reage a tais acontecimentos. E isso resulta em um posicionamento proativo que eleva a capacidade de reação e alcance de resultados.
  • Mindset Fixo x Mindset de Crescimento (assita ao vídeo de Carol Dweck sobre o assunto):

https://www.ted.com/talks/carol_dweck_the_power_of_believing_that_you_can_improve?language=pt-br

Mindset é um termo adotado para descrever o tipo de mentalidade que cada pessoa possui. Segundo estudos de Carol Dweck, principal estudiosa da área e autora do livro “Mindset: a nova psicologia do sucesso”, foram identificados dois tipos de mindset, o fixo e o de crescimento. Por um lado, com mindset fixo, a pessoa aceita as condições impostas pelo ambiente, tendem a acreditar que não conseguem desenvolver novas habilidades e conhecimentos e com isso carregam um perfil inseguro, limitado e com grande estagnação. Já o mindset de crescimento, pode também ser chamado de mindset progressivo. Pessoas com este tipo de mindset acreditam em suas habilidades, e também que podem desenvolver novas competências, desde que haja dedicação. Aprende com os erros e acredita ser capaz de promover mudanças em seu ambiente. O tipo de mindset influencia diretamente seus resultados. 

E aqui vai uma notícia boa: o mindset pode ser mudado. Para isso, o primeiro passo é conhecer melhor os dois perfis, identificar qual o tipo de comportamento você possui e buscar mudanças para a sua rotina e comportamento que promovam o mindset de crescimento. 

  • Dificuldade de planejar, organizar e definir prioridades: atualmente, com grande volume de informações que lidamos todos os dias, a atenção e o foco tornaram-se características de grande relevância para se alcançar resultados. Tão importante que foi considerada por estudiosos da área a habilidade mais importante para o século 21. Por isso, construir sua própria dinâmica de trabalho que funcione para você, pode ser essencial para lidar com as distrações diárias e trazer mais foco nos resultados. Duas dicas sobre isso: 
  1. Assista o vídeo Porque você procrastina. Entender a causa raiz pode te ajudar a lidar com este problema.
    1. Neste link, você poderá acessar uma ferramenta gratuita que poderá te ajudar, principalmente se estiver em home office, a como priorizar suas atividades diárias.
  • Hábitos bons x hábitos ruins: o tempo é democrático, todos nós, sem exceção temos 24 horas. Considerando que em um cenário comum, temos 8 horas para dormir e 8 horas para trabalhar, você já parou para pensar o que você faz com as suas 8 horas restantes? Quais hábitos você cultiva neste tempo? Prefere assistir televisão, se exercitar, passar mais tempo com a família, ler? Enfim, as possibilidades são muitas,e a boa ou má utilização do seu tempo depende apenas da sua decisão. Então, da próxima vez que você deixar de fazer algo que teoricamente seria importante para você por “falta de tempo”, revisite seus hábitos e suas prioridades e veja se o problema é realmente a falta de tempo ou suas escolhas em relação à ele. 

Um hábito normalmente é composto por 3 elementos.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

A junção do conhecimento, desejo e habilidade são fatores essenciais para a construção de bons hábitos. Entender esta dinâmica pode ajudar muito a promover mudanças positivas no seu dia a dia.

Espero que este conteúdo tenha instigado você à refletir um pouco sobre você. Para continuar para a terceira parte ir na minha sessão de artigos e passar para a próxima etapa para entender como você poderá definir melhores objetivos e resultados que serão essenciais para o seu desenvolvimento.


Liliane Carvalho | Gestora de projetos de inovação e empreendedorismo e movida à aprendizados e desafios

Profissional multidisciplinar, que acredita na capacidade das pessoas de fazerem coisas incríveis, desde que haja um desafio motivador o suficiente. Com formação em negócios e vasta experiência em inovação e empreendedorismo, meu objetivo é impactar pessoas a partir da mudança de mindset.

COMUNIDADE EFEITO ORNA
Ler conteúdo completo
Indicados para você